top of page

A paz mora nos pensamentos | Alguns cuidados

Veja as principais dicas para que seus pensamentos sejam morada da paz.

 

Há uma tendência a se esperar que a paz venha até nós. Por isso, imaginamos que quando tal coisa acontecer ou se conseguirmos estar em tal situação, aí então... teremos paz e outras coisas mais.

A bem da verdade a paz depende mais de algo em nós do que fora de nós. Encontramos pessoas doentes cujo corpo lateja de dor, mas a pessoa se sente em paz, no seu eixo. Mas também encontramos pessoas cercadas de facilidades e que não sabem o que fazer da própria vida.


Paz e pensamento: uma hipótese plausível

Quando falo que a paz mora em nossos pensamentos não é somente uma metáfora, mas uma constatação bastante pessoal. O pensamento não é só o raciocínio. Uma conta malfeita tira toda nossa paz, não é mesmo? O pensamento é a consciência, é nossa escala de valores, é o modo como vemos e interpretamos a vida. O pensamento nesse caso é nossa interioridade mais consciente, mais presente a nós mesmos.

Evitei usar a palavra coração porque ela tem conotação às vezes muito emocional. E nossas emoções oscilam muito. Se formos nos guiar por elas, tudo se complica demais. Mas o pensamento parece ser mais estável, vem de constatações, de reflexões. Me parece que o pensamento seja mais interessante como casa da paz do que as emoções. Mas é só uma hipótese.


Como cuidar dos pensamentos? As dicas de ouro da filosofia

Se o pensamento é casa da nossa paz, como vamos então cuidar dessa casa? Nesse ponto, sou feliz por ter recebido a oportunidade de estudar filosofia, por ela me apaixonar e com ela caminhar todos os dias. Mesmo que às vezes tenhamos nossos desentendimentos.

Mas a filosofia nos traz alguns ensinamentos importantes sobre nosso pensamento:

·       Se você não é cuidadoso com as informações que recebe, seu pensamento fica perigoso. Se você gosta de muitas novidades, ou informações sobre a vida alheia que não são da sua conta, seu pensamento será caótico. Zelar pelas nossas fontes de informação, não ir com as ideias de qualquer um é um primeiro cuidado. É como fazer faxina. É como desintoxicar-se.

·       O pensamento precisa ser provado, precisa ser confrontado porque a vida e a verdade são maiores que nossa cabeça, nossa experiência, nossa visão de mundo. Quem não consegue conviver com o pensamento diferente, contraditório e até oposto demonstra muita superficialidade e insegurança. Pensar é permitir expor-se ao diferente. Mudar de opinião pode ser sabedoria.

·       Prender-se ao passado seja na saudade ou no remorso é bobagem. Mas ambos podem ser inspiradores para o hoje. Mas ficar preso neles não tem sentido. Sonhar com futuro sem agir em harmonia com o que se deseja é fingir sonhar. Sonhar é hoje dar passos na direção de onde ser quer chegar amanhã.

·       Finalmente, a filosofia cristã nos ensina que a verdade não é um raciocínio, mas uma pessoa. E a Verdade vem ao nosso encontro. Rezar é abrir o caminho para encontrar-se com a Verdade. E nela está nossa paz.


O pensamento exige o compromisso de aperfeiçoar-se

Para encerrar nossa conversa dessa semana, há um pecado que o pensamento não tolera. É o pecado da presunção, de quem diz que não há nada mais nessa vida a aprender. É o pecado do adulto que não aprende com a criança, do jovem que despreza o ensinamento do mais velho, é o pecado daquele que acredita já ter visto de tudo. A vida sempre surpreende. E quem deseja viver em paz precisa se dar conta disso. Mas o pensamento, bom e saudável, ajudará a suportar e vencer as surpresas da vida.


Padre Cleiton Viana da Silva é presbítero da Diocese de Mogi das Cruzes (SP), doutor em teologia moral pela Academia Afonsiana (Roma), mestre em bioética pelo Centro Universitário São Camilo, especialista em marketing e mídias digitais pela FGV, professor de teologia na Faculdade Paulo VI, autor por Editora Paulinas e ministra cursos presenciais e on-line. Conheça seus próximos cursos e atividades. Clique aqui.


61 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page