TEMPO É O MELHOR PRESENTE PARA O SEU FILHO!

Quase todos os dias recebemos notícia de adolescentes que cometeram suicídio ou tentaram contra sua vida. Vejo todos os dias pais sufocados pelo trabalho, em condições de vida muito difícil e ainda desesperados sem saber o que fazer para ajudar seus filhos adolescentes em conflito.


Você aceita conversar comigo sobre isso? Fiz este texto para você: pai, mãe, educador ou amigo de jovens que todos os dias dão sinal de insatisfação com a vida, isolam-se e nos deixam apavorados. Caso você goste deste texto, converse sobre ele com seus amigos, compartilha com sua família e vamos juntos construir uma rede de apoio e de troca de ideias. Vamos?


Nestes mais de 13 anos de padre, tenho acompanhado inúmeras famílias, jovens e sei como é difícil para os pais lidarem com o sofrimento de seus filhos, sei como é difícil construir com eles um diálogo de confiança e apoio. Muitos pais percebem todos os dias como isso é difícil, parece que toda aquela ligação entre eles e seus filhos vão se perdendo. Mas é possível redirecionar as coisas. Conheço muitos pais que se deram contam de que podem sim reconstruir essa ponte entre eles e seus filhos.


Há alguns anos, um menino na catequese começou a dar um pouco de trabalho... As catequistas praticamente não sabiam o que fazer e se era conveniente deixar que o menino continuasse na catequese porque era praticamente impossível dar catequese com toda a bagunça que ele fazia. Às vezes, beirava a agressividade.

Sabendo da situação, visitei a turma e procurei brincar um pouco com eles, fazendo piada sobre time... e tentei conversar mais com o menino enquanto puxava assuntos variados com a turma. No meio da conversa, perguntei para eles sobre família, como era com os pais, a vida em casa etc.


Resumindo a história, em algum momento ele disse: Eu simplesmente não vejo meu pai, nunca mais jogamos futebol juntos... Era um menino de 6 a 7 anos! Conversando depois com os pais dele, a situação era a mais comum que já conhecemos: por causa das dificuldades financeiras, o pai começou a trabalhar em dois empregos não tendo quase nenhuma possibilidade de ficar junto com os filhos, esse da catequese e uma outra que já era adolescente.


Pais ricos e pais pobres estão todos sobrecarregados com muita coisa para fazer e não é justo ninguém culpar justamente aqueles que mais amam seus filhos, por eles se sacrificam e até mesmo perdem a saúde de tanto trabalhar. Preocupados em ajudar seus filhos, acabam correndo atrás de todo tipo de solução. Mas o que precisamos compreender é que o tempo é o melhor presente que se pode dar aos filhos, é o mais importante investimento que os pais podem fazer pelos seus filhos.


Em 2017 concluí um livro para jovens e pais: Coração inquieto. É fruto de muito tempo que passei com jovens e pais, ouvindo suas dificuldades, dúvidas e angústias de tantos corações inquietos mesmo; é fruto de todos os anos que tenho me dedicado a estudar, pesquisar e escrever assuntos sobre relacionamento entre família, pais e filhos e vida de comunidade.