MEU MARIDO VÊ PORNOGRAFIA. QUE DEVO FAZER?

Atualizado: 4 de Dez de 2020

Enquanto Lucrécia não volta, e como demora! Me recordo de um de nossos primeiros diálogos durante a pandemia de 2020. Eu tinha publicado um artigo divulgando meu livro Coração Inquieto (Ed. Paulinas, 2018) voltado para jovens e um dos assuntos era sobre o problema da pornografia para jovens.


Ela me chamou em particular e perguntou: Padre, posso confessar o pecado dos outros? Eu respondi, brincando e arriscando: Sim, se a senhora for pagar a penitência pela pessoa também. Foi quando ela se sentiu à vontade e disse: Meu marido vê pornografia. Que faço com isso?!


Esse é daqueles momentos extremamente delicados em qualquer conversa de direção espiritual, mas principalmente quando é pela internet me causa um pouco mais de preocupação. Um mínimo de erro e as consequências podem ser desastrosas. Eu lhe perguntei se ela realmente tinha tempo para conversar e ela disse que sim.


Eu comecei lhe explicando que o meu modo de tratar o assunto poderia ser um pouco demorado porque sendo professor de teologia moral, minha preocupação não poderia ser dar respostas prontas como aquelas massas de supermercado para fazer bolo em que você entrega o pacote e a pessoa chega em casa, joga um pouco de leite e já joga no forno para assar.


Aconselhamento espiritual é sempre algo muito exigente e quando se trata de problemas desse tipo precisa ser tratado com profundidade. Ela entendeu e disse que teria todo tempo do mundo para me ouvir.


Esse problema como outros têm pelo menos três dimensões, mas é muito difícil a mulher tentar resolver com o marido sem o próprio marido... É necessário uma grande dose de respeito pela intimidade alheia e ao mesmo tempo a disponibilidade de ajudar a pessoa. E entre marido e mulher a ajuda mútua é sempre essencial.


Quais são as dimensões desse problema?


A primeira dimensão que é sempre mais percebida é a dimensão moral, mas sozinh