top of page

Dicas antes do namoro e durante o namoro

 

Antes do outro, conhecer a si mesmo!

Talvez não se possa exigir muito autoconhecimento de um adolescente, mas não podemos ignorar que sem um pouco de autoconhecimento a tendência é a pessoa reproduzir os padrões que internalizou na sua família.

Por exemplo, se havia violência no trato entre esposo e esposa, corre-se o risco de o rapaz entender que seja “normal” o homem ser agressivo com a sua companheira. Ou ainda, a moça imaginar que seja “normal” ser tratada assim pelo seu namorado.

É sempre importante se perguntar: o que tenho visto na minha casa que suponho “ser assim mesmo”? O que é aceitável e o que não é aceitável?

Eu ainda acrescento que cada jovem antes de começar sua vida amorosa precisa olhar dentro de si e pensar: o que desejo para minha vida?

Sem clareza suficiente sobre os objetivos

a gente corre o risco de se apegar a qualquer coisa.

Naturalmente não falo de clareza total sobre o que se quer da vida, mas um mínimo de sonho. Por exemplo, em cinco anos quero continuar bem, construindo uma profissão e uma relativa independência financeira. Assim, qualquer relacionamento que começa a causar muita angústia, sentimento de pisar em ovos ou coisa do tipo vai dar aquele sinal de que algo não está bem.

Além disso é necessário aprender a ouvir os mais velhos. Sempre há uma pulga atrás da orelha dizendo algo interessante. Os mais velhos podem nos ajudar a decifrar. Escute-os.

 

Aprenda a desconfiar da sua busca de satisfazer todos os seus desejos

Muitos príncipes encantados terminaram se mostrando uma fera implacável. No começo, pareciam o namorado dos sonhos, mas logo depois se mostraram o contrário do que pareciam. Muitas princesas também se tornaram megeras. Cuidado!

Geralmente as pessoas dão atenção a quem parece demonstrar satisfazer seus gostos, mas lembre-se:

A satisfação dos gostos aprisiona, gera comodismo e inércia.

Quando alguém cai nas mãos de uma pessoa narcisista, por exemplo, experimenta de modo inigualável a alegria de ter todos os seus desejos satisfeitos, mas somente numa fase inicial. Criado o vício, ou dependência, começa outra fase do relacionamento.

Tenha cuidado com príncipes e princesas que parecem dos sonhos. Podem virar pesadelo.

 

O teste do chulé

Há um teste a ser feito durante o começo do namoro. É o teste do chulé. Já conhecia? Há muitos casais que arrastam entre si queixas de falta de zelo consigo mesmo e com o outro. Inclusive assuntos de higiene pessoal e íntima.

No começo do namoro, crie uma ocasião para que tirem o tênis. Se houver chulé, converse sobre os meios de vencer o chulé.

O rosto bem limpo, a roupa bonita e o bom perfume indicam a preocupação com os outros de fora. O cheiro do pé é zelo consigo mesmo e com quem compartilha a intimidade.

Em um relacionamento de longo prazo é melhor uma roupa velha observada pelos outros, do que um chulé na hora de dormir.

Algum tempo depois, repita o teste, se o chulé persistir há uma informação importante: o zelo é só com o que é visto publicamente, não com o que é mais íntimo. Se falta zelo com o pé, faltará zelo com muitas outras coisas da intimidade familiar e conjugal. Se quiser arriscar, arrisque. Mas o resultado do teste pouparia você de muita coisa.

 

Saiba ter um namoro equilibrado, organizado

O namoro deve ser um ótimo tempero da vida, mas não pode ser o prato principal. O prato principal é sua vida, seus sonhos, seus projetos mesmo que envolvam outra pessoa. Mas nunca será somente ela.

Cuidado com namoros em que um “não quer largar o outro.” Se deixar passam o fim de semana inteiro juntos ou até a semana inteira.

Todo excesso pode indicar falta ou fuga.

Falta de compromisso com a própria vida? Fuga dos conflitos dentro de casa? Você realmente é o amor da vida ou a válvula de escape?

Enriqueça seu namoro com o cuidado com sua vida de fé, espiritualidade e gestão das emoções. Tudo isso vai ser fundamental para construir um relacionamento sadio. Se o namoro leva você mais ao confessionário do que à comunhão, tome cuidado! Se o seu namoro isola você da sua família e amigos, cuidado.

Finalmente, escute seu coração porque ele é o melhor termômetro. Lembra do autoconhecimento e da necessidade de ter um pouco de clareza sobre os objetivos. Daqui cinco anos você gostaria de estar na situação que está hoje? Se algo não vai bem no seu namoro, seria suportável continuar assim daqui cinco anos? Dez anos? Uma vida inteira?


Meu agradecimento à equipe da Pastoral Familiar do Regional Sul 1 com quem fiz uma live sobre este assunto. Se você deseja assistir o vídeo sobre este assunto, clique aqui. Marta e Lincoln, Ataíde e Maria Ida, Padre Anatoli, muito obrigado pela oportunidade.


Padre Cleiton Viana da Silva é presbítero da Diocese de Mogi das Cruzes (SP), doutor em teologia moral pela Academia Afonsiana (Roma), mestre em bioética pelo Centro Universitário São Camilo, especialista em marketing e mídias digitais pela FGV, professor de teologia na Faculdade Paulo VI, autor por Editora Paulinas e ministra cursos presenciais e on-line. Conheça seus próximos cursos e atividades. Clique aqui.


121 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Feliz Páscoa! Feliz travessia

O que os meus pensamentos recorrentes falam de mim? Por isso, o que descobrirei de mim se ousar ir além dos meus pensamentos recorrentes e hábitos? Quebrar esquemas mentais e comportamentais nos ajuda

Comentários


bottom of page